Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

20
Jun16

País de Gales 3-0 Rússia : russos BALEados!


Pedro Varela

bale.jpg

 

Quando fizemos as previsões aqui no Parque sobre quem seriam os dois primeiros qualificados neste grupo B, foi unânime que Inglaterra e Rússia ocupariam esses lugares, e, provavelmente, País de Gales o terceiro posto com possível qualificação.

 

A verdade é que País de Gales chegava à última jornada a depender apenas de si para seguir em frente, caso vencesse, e até o empate no jogo de hoje podia dar a qualificação. Já a Rússia tinha que, obrigatoriamente, vencer hoje e esperar pelos restantes jogos para perceber o seu destino. Compreende-se assim que Slutsky tenha efectuado 4 alterações no 11 titular, uma delas por lesão de Shatov, fazendo entrar Shirokov, Kombarov, Mamaev e Glushakov.

Do lado Galês, Chris Coleman apenas mexeu na frente de ataque, Vokes entrou para o lugar de Robson-Kanu.

 

O jogo foi totalmente dominado por Gales desde o primeiro minuto. A Rússia foi uma pálida imagem do que se poderia esperar, principalmente no jogo de hoje onde teria de apresentar-se de forma completamente ofensiva e batalhar pela vitória. Mas Bale não concordou e a noite foi dele!

 

Logo aos 3', Bale em posição de fora de jogo quase marcava, ficava o aviso da estrela do País de Gale. O espaço que era concedido pelos russos era amplamente aproveitado por Ramsey, Allen e claro, pelas estonteantes corridas de Bale. 

O golo surgiu, naturalmente, aos 10' por Ramsey, num fantástico chapéu a Akinfeev após assistência de Joe Allen.

Aos 20', Neil Taylor, lateral esquerdo aparece completamente sozinho em frente ao guardião russo, após assistência de Bale que Shirokov corta mal, e faz o segundo golo para Gales com toda a calma do mundo. 

 

A Rússia estava desorientada, temeu-se que o resultado pudesse escalar ainda mais rapidamente do que estava a acontecer e só aos 26', Dzyuba conseguiu criar perigo na baliza de Hennessey. Por esta altura, o esquema táctico russo era bola para a frente e logo se via!

 

Aos 30', sim, a uma hora do final do jogo, e com tanto para se jogar, Gareth Bale faz um das jogadas que mais o celebrizou, bola colada aos pés, corrida em alta velocidade a passar pelos adversários todos que lhe apareciam pela frente, como quem faz slalom, assistiu Vokes que...falhava o terceiro golo.

 

E depois ainda houve Ramsey, e Bale novamente e...intervalo, para sorte dos russos!

 

A segunda parte inicia-se com a troca dos irmãos Berezutski no centro da defesa da Rússia, mas pouco havia a fazer. Bale estava completamente endiabrado e não marcou aos 54', mas doze minutos depois elevou o marcador para 3-0 e tornou-se no melhor marcador do Europeu. Três golos em três jogos da fase de grupos.

 

A Rússia, bem, já não podia fazer muito mais no jogo e, provavelmente, poderia ter sido mais criativa que Alexander Shprygin, o responsável pela ligação do clubes aos adeptos, que tinha sido deportado pelos incidentes na primeira jornada e que hoje estava novamente em Toulouse a ver o jogo enganando tudo e todos. Só aos 84', Dzuyba, o inconformado, voltou a ter uma oportunidade para alterar o resultado do jogo. Inconsequente!

 

Para o País de Gales o final de jogo não podia ser mais saboroso, porque de Saint-etienne as notícias não podiam ser melhores, Inglaterra e Eslováquia empatavam, o que significava a vitória no grupo B. Fantástico!

 

A Rússia, tal como alguns dos seus adeptos, abandona o Europeu de França com uma imagem desgastada, estragada e a pedir uma rápida renovação!

 

Homem do jogo: Gareth Bale