Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

12
Jun16

Turquia 0-1 Cróacia: Bilhete de Modric faz justiça!


RSolnado

CkwU_-FXIAArRcf.jpg large.jpg

 

O primeiro jogo do Grupo D prometia bastante, duas selecções que se reencontravam 20 anos depois da estreia entre ambas no Euro/96. A Croácia é das formações que promete sempre ir longe, a Turquia já se sabe nunca vira a cara à luta.

Ambos os treinadores optaram por 11 mais “prudentes” do que seria expectável. Do lado croata Badelj foi escolhido em vez de Pjaca, desviando Brozovic para a direita provavelmente para não só dar mais liberdade a Modric e Rakitic mas também para fechar melhor o flanco direito. Do outro lado Ozyakup juntou-se a Ozan Tufan e Selkun Inan para um meio-campo reforçado com um elemento de cada um dos clubes grandes de Istambul. O sacrificado foi Sen, que entrou ao intervalo a tempo de “distribuir fruta” por todos os croatas e conseguir sair só com um cartão amarelo!

A Croácia foi melhor durante todo o jogo, entrou mais pressionante, mais dinâmica e cada vez que as estrelas Modric e Rakitic pegavam no jogo a equipa chegava ao último terço do campo, privilegiando o corredor direito pelas subidas de Srna. Com alguns lances de perigo relativo no primeiro tempo, a primeira ocasião clara surge já depois da meia-hora e do outro lado com Gonul a cruzar para a cabeçada de Tufan, boa intervenção de Subasic.

A resposta não tardou, primeiro Brozovic ameaçou a baliza de Babacan. Depois surgiu o golo, e que golo! Uma verdadeira obra prima de Luka Modric, o playmaker do Real Madrid a encher o pé num remate de ressaca de muito longe, um tiraço de primeira a uma bola aliviada por Inan e que só parou no fundo da baliza: Babacan estirou-se mas com o esférico a bater no chão mesmo em cima do guardião deixou-o sem hipóteses de defesa. E que dizer do festejo do golo com direito a invasão de campo? Absolutamente memorável!

13445871_10153613465460423_15239306_o.jpg

 

Ao intervalo Terim não perdeu tempo e lançou Sen para um flanco, jogando com Çalhanoglu nas costas do tosco Tosun que esteve sempre fora do jogo excepto quando abriu a cabeça a Corluka na primeira parte, originando uma das imagens recorrentes do jogo o sangue a jorrar da cabeça do experiente central croata.

A Turquia expôs-se, arriscou e deu espaço que os croatas aproveitaram para um recital de futebol ofensivo, bem apoiado e desenhado mas infelizmente também de golos falhados. Aos 51’ slalon de Rakitic castigado em falta na meia-lua, no livre Srna acertou na trave. Três minutos volvidos Srna a falhar a recarga a uma defesa incompleta de Babacan, atirando para fora. Aos 65’ Brozovic chegou uma fracção atrasado e não desviou o suficiente o cruzamento de Perisic... que aos 72’ iria acertar na trave de cabeça após cruzamento de Mandzukic da direita. Aos 79’ foi Brozovic, também de cabeça, com Babacan a desviar para a trave e para canto.

Cacic não sentia necessidade de mexer na equipa, que jogava bem mas não matava o jogo e só gastou as substituições no fim. Do outro lado Terim recorreu ao histórico Burak Yilmaz, nunca servido em condições, e ao jovem prodígio Emre Mor que pareceu acusar a pressão e não foi esclarecido nas suas acções, tal como a maioria da sua equipa. Çalhanoglu foi precipitado a jogar quer de bola corrida quer na bola parada, uma das suas especialidades. Arda Turan jogou 65 minutos e passou completamente ao lado do jogo.

No que foi um dos melhores jogos até ao momento em termos de futebol, muito por culpa da Croácia, ficam duas certezas: A Turquia tem de fazer muito mais para passar aos oitavos e a Croácia parece dar razão a quem os coloca numa segunda linha de possíveis candidatos. A estreia prometeu!

Melhor em campo: Luka Modric