Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

19
Jun16

Suíça 0 - 0 França: Serviços Mínimos Franceses Apuram Suíça


J.G.

541431302.jpg

 

Um jogo que muito prometeu na primeira parte acabou congelado de parte a parte gerindo o contexto pontual que apurava ambas as selecções para a próxima fase. 

A França entrou em Lille com algumas mudanças no onze. Kanté, Matuidi, Payet, Giroud e Martial sairam da equipa dando lugar a Cabaye, Pogba, Sissoko, Gignac e Griezmann. Deschamps entre gestão física, disciplinar e acerto de rotinas, rodou quase meia equipa. Se a ideia era dar mais dinâmica tirando proveito de uma maior motivação individual, então é certo dizer que a aposta não resultou de forma entusiasmante. 

Apenas Pogba entrou com tudo e quis mostrar serviço a sério. De tal maneira, que as melhores oportunidade da primeira parte passaram pelos seus pés. Sommer e a trave da sua baliza que o digam.

Do lado da Suíça, Petkovic manteve a estrutura e dez titulares. Lançou o jovem Embolo à procura de contra ataques rápidos e jogadas individuais para surpreender os homens da casa. Ironicamente, o jogo acabou por mostrar uma Suíça com mais posse de bola e com possibilidade de jogar em ataque construído pacificamente desenvolvendo transições ofensivas seguras. Criou poucas ocasiões de perigo mas andou sempre mais perto da área contrária.

Na primeira parte o jogo esteve interessante e com iniciativas de lado a lado que mostravam que a Suíça queria discutir o primeiro lugar.

 

Depois, na 2ª parte quando se soube que a Albânia estava em vantagem, o jogo em Lille mudou radicalmente. De repente, as duas equipas estavam contentes com o resultado. A Suíça continuou a pressionar e a ter mais bola mas já atacava muito mais desconfiada. 

A França optou mesmo pelos serviços mínimos e apenas Payet, vindo do banco, deu alguma emoção aquele ataque. Gignac tentou de longe após tabela com Griezmann mas Sommer resolveu todos os problemas criados.

 

A Suíça festeja um apuramento inédito e segue invicta em prova, a França cumpre a sua obrigação de passar em primeiro lugar mas falha na afirmação de um futebol convincente. Duas vitórias perto do fim de cada jogo e um cinzento 0-0 não é grande cartão de visita para os jogos mais duros que se adivinham. 

A marca de equipamentos helvéticos também terá ficado apreensiva com a imagem de três camisolas rasgadas no calor do jogo. 

 

Melhor em Campo: Sommer