Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

01
Jun16

Rendez-Vous com António Tadeia (RTP)


J.G.

 formador_antonio-tadeia-2yufvc1mdjl7u3c5obb9j4.png

António Tadeia vai estar por dentro do Euro com a RTP mas antes de começar a grande aventura partilhou connosco as suas ideias para o grande torneio. Recuperou Panenka, assinale-se.

 

 - Que Selecção consideras ser a grande favorita a ganhar a final de St. Denis no dia 10 de Julho?

A Alemanha. E não tem nada a ver com aquela coisa de serem onze contra onze e no final ganhar a Alemanha. É mesmo porque têm gente muito boa em todos os setores. A França também pode lá chegar. Já acredito menos na Espanha, mas em boa verdade nunca acreditei muito e eles têm ganho umas coisas.

 

- Dos 24 países presentes em França em qual apostas como grande surpresa do torneio?

 Fora do lote dos tradicionalmente mais fortes e que são candidatos (Alemanha, sempre, Espanha, que defende o título, e França, que joga em casa), acho que a prova pode sorrir à Bélgica, porque tem uma geração muito completa de ótimos jogadores, ou até a Portugal, se Ronaldo aparecer em grande.

 

- De todos os craques consagrados que vão pisar os relvados gauleses, quem achas que vai ser o melhor jogador?

Depende muito do que considerarem um consagrado. Mas se me perguntares em quem aposto para melhor jogador do Europeu deixo cinco nomes: Ronaldo, Griezmann, Buffon, De Bruyne ou Müller.

 

- Em que jogador apostas para grande revelação do Euro'2016 ?

Se se soubesse não seria uma revelação... 

 

- De todos os jogos que já viste de campeonatos europeus qual foi o melhor golo de sempre? 

As memórias mais duradouras são as da infância, quanto muito da adolescência. Não me lembro de golos do Euro'2012, por exemplo. Lembro-me de todos de 1980 ou de 1984, até de 1988. De 1992, que foi o primeiro que acompanhei ao vivo e a trabalhar, já tenho pouca lembrança. Por isso escolho dois: o penalti de Panenka em 1976 e o golo de van Basten à Rússia em 1988.

Ao vivo, ficam dois de Portugal: o de João Pinto à Inglaterra, em 2000, em Eindhoven, a ajudar uma recuperação que devia estar nos livros de história acima dos 5-3 à Coreia de 1966, e o de Maniche à Holanda em 2004, em Alvalade.