Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

06
Jul16

Portugal 2-0 País de Gales : o sonho tão perto!


Pedro Varela

portugal3.jpg

 

Portugal está na final do Europeu de França!

Há um homem que sempre acreditou que isto era possível: Fernando Santos, o Seleccionador Nacional. Colocou o título como objectivo principal, sem rodeios, sem receios e uma parte importante do caminho está feita. Para ele vão os meus primeiros parabéns!

 

Depois, os emigrantes. Porra, durante um mês estiveram no hotel, estágios, estádios, acessos, falaram e choraram para as televisões e vibraram, muito. Sem clubismos, rivalidades, lamechices ou outras índoles. Sentiram a Selecção como nunca. Merecem tanto, mas tanto esta final que quando soou o apito final soltei umas lágrimas por eles. Um bem haja a todos, que são muitos espalhados pelo mundo fora.

 

Coleman admitiu, e não creio que tenha sido jogo psicológico, que Portugal era favorito. O País de Gales fez uma campanha fantástica neste Europeu, mas, no dia em que percebeu que Ramsey não iria jogar contra Portugal, parte das chances de se qualificarem perderam-se. A aposta em King no meio campo foi insuficiente!

 

Do lado Português, Danilo era a opção óbvia para o lugar de William Carvalho castigado, e que excelente exibição do trinco português, e Bruno Alves foi a escolha para substituir Pepe lesionado. Tudo a prever o perigoso jogo aéreo galês.

 

Que primeira parte tivemos em Lyon? Domínio de jogo Português, mas sem oportunidades e com poucos remates, um País de Gales irreconhecível que apareceu pela primeira vez aos 18 minutos e aos 22 e pouco mais.

Portugal voltou a ver uma grande penalidade não ser assinalada pela "gravata" de Collins a Ronaldo, foram escassos os momentos de perigo na baliza defendida por Hennessey. O intervalo chegou com um nulo perfeitamente compreensível.

 

É por estas alturas que se solta o treinador de bancada que existe em todos nós. Porque raio nesta primeira parte se encostou tanto João Mário à esquerda e Renato Sanches à direita, colados à linha, quando os nossos laterais são jogadores que podem perfeitamente subir no terreno, levando a que os médios procurarem-se mais o jogo interior?

 

Mas como eu não percebo nada disto, Ronaldo numa "tolada" incrível, após centro muito bem executado por Raphael Guerreiro, marca o primeiro do jogo. Naquele momento, com a calma que assisti a primeira parte, não fiquei com grandes dúvidas que já estávamos a caminho de Paris. A Selecção de Gales estava apática, sem capacidade de reacção, sempre à espera da explosão de Gareth Bale. Que nunca aconteceu!

 

Foi preciso esperar apenas mais 4 minutos para chegar o segundo golo, por Nani num desvio intencional após remate falhado de Ronaldo. O jogo acabou ao minuto 53!

 

A partir desta altura era irreversível, de Lyon a Paris a viagem iria demorar menos de meia hora. Ronaldo de livre directo, Nani, João Mário e até Danilo, todos falharam o terceiro golo. Bale aos 79' e 82' bem tentou marcar um golo que animasse a partida, mas Patrício estava intransponível!

 

Vitória justíssima de Portugal, principalmente pelo que fez na segunda parte, Paris é o próximo e último destino, voltamos a uma final europeia 12 anos depois. Se a Alemanha vencer a França, conquistamos também o acesso à Taça das Confederações.

 

Quanto a Gales, não tenho dúvida que os seus adeptos estarão orgulhosos do que a sua Selecção fez neste Europeu de 2016, mas hoje, Portugal foi claramente superior!

 

Homem do jogo: Cristiano Ronaldo