Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

26
Jun16

Portugal 1-0 Croácia : contra o aborrecimento apareceu Quaresma!


Pedro Varela

portugal.jpg

 

 

Desculpem-me os leitores do Parque que não puderam ler a crónica imediatamente a seguir ao apito final do jogo, como tem sido habitual. A Selecção, por incrível que pareça, e sendo eu um adepto indefectível do futebol em Portugal, ainda consegue mexer comigo. Por isso, desloquei-me a um dos pontos da minha cidade onde habitualmente se instalam ecrãs gigantes, cerveja e malta que manda uns "bitaites" de bola e que são os verdadeiros treinadores de bancada. Assisti, comentei, vibrei e festejei uma vitória de Portugal!

 

Parece incrível que em 2016 se possa vibrar tanto pela Selecção, sabendo que atravessámos um período onde as quezílias entre adeptos de clubes rivais é enorme em torno da discussão de quem deve ou não ser titular, do "super-agente" que controla a convocatória, do futebol pálido e por vezes assustador que Fernando Santos consegue nos presentear, pela falta de cultura futebolística, ainda hoje confidenciava que olhámos para todas as Selecções que estão presentes no Europeu e há, nas bancadas, um apoio incrível que transcende todas as "guerrinhas" internas, mas, mesmo sabendo de tudo isso, quando chega a hora de cantar o hino e ver 90 (ou 120) minutos de pobre futebol, no momento do golo tudo se esquece e lá se solta um "venha de lá o próximo"!

 

O onze que Portugal apresentou hoje diante da Croácia é, tendo em conta que vamos no quarto jogo o Europeu, uma autêntica surpresa. Não pelas alterações que foram efectuadas, que diria serem normais e que há muito já deveriam ter acontecido, mas porque colocar-se em campo 4 jogadores que não tinham feito um único minuto no Europeu, num jogo a eliminar, se não foi inédito, andou por lá perto.

Lembrou-me hoje Fernando Santos, o treinador brasileiro Scolari em 2004 quando teimou com um determinado 11 na abertura do Europeu em Portugal, alterando-o no jogo seguinte. O actual treinador Português demorou um pouco mais.

Do lado Croata, os regressos de Modric e Mandzukic, que recuperaram de lesões enão tinham defrontado a Espanha, foram as principais entradas num onze que se esperava ofensivo e, provavelmente, o mais forte que apresentaram no Europeu de França.

 

A primeira parte foi maçadora, sejamos sinceros. As equipas muito receosas, muito mais posse de bola para a Croácia, Portugal a deixar jogar, as Selecções tacticamente muito encaixadas uma na outra, com o jogo em velocidade lenta e sem grandes riscos. Ficava um sinal do que seria os restantes 45 ou mais minutos. A ideia que um golo seria o suficiente para vencer a eliminatória ou, no limite, as grandes penalidades eram a lotaria que poderia decidir quem iria passar, estava confirmada!

 

Com 5 minutos da segunda parte, Fernando Santos decide mexer. Podia ter sido no intervalo, deveria ter sido, na minha opinião, no início do jogo. Renato Sanches entrou e acabou por ter um papel importante no desfecho do jogo.

O jogo, no entanto, continuou fraco, sem oportunidades de golo, sem jogadas rápidas e desconcertantes, as Selecções de Portugal e Croácia não estavam dispostas a correr riscos. Ficou a ideia que Fernando Santos e Cacic teriam feito um pacto que não agressão e por isso o tédio manteve-se!

 

Não foi, portanto, de estranhar que os 90 minutos tenham sido atingidos sem que houvesse um remate à baliza de Patrício ou Subasic. Foi a primeira vez que aconteceu em Mundiais e Europeus desde 1966. Notável!

 

Fica a nota que aos 64' houve uma grande penalidade para Portugal e que não foi assinalada. Strinic pontapeou Nani e o árbitro espanhol nada assinalou.

 

Com mais 30 minutos para se jogar, em três jogos do dia, era o segundo a ir a prolongamento, previa-se um calvário muito idêntico ao que até agora tínhamos assistido. Já com Quaresma em campo, tinha entrado as 88', e do lado Croata já com Kalinic dentro das 4 linhas e mais tarde com Pjaca, o jogo foi-se arrastando para as grandes penalidades sem que se vislumbrasse um escapatória para qualquer das Selecções. Até que chegou o minuto 116!

 

Perisic ficará com esse momento para sempre na sua cabeça. Primeiro, pelo movimento que levou a bola ao poste de Patrício e em segundo, porque na recuperação defensiva de bola por Portugal, nasceu o golo da vitória e da qualificação. Ronaldo mete em Renato, que por sua vez encosta na esquerda para Nani, isto já com mais de 50 metros de campo percorridos, Nani num passe rasteiro, que de tão mau que foi enganou os defesas Croatas, isola Ronaldo que atira para a baliza, Subasic faz uma excelente defesa que por sua vez coloca a bola milagrosamente na cabeça de Quaresma que só tem de encostar para o fundo das redes, isto tudo perante o desespero dos adeptos da região dos Balcãs e o gáudio dos Portugueses. 

 

Respirou fundo Fernando Santos, apesar de continuar sem vencer nos 90 minutos, o objectivo de qualificação para os quartos de final estava conseguido e o adversário que se segue é a Polónia, que bateu a Suíça nas grandes penalidades e só hoje, ao quarto jogo sofreu o primeiro golo na competição.

A Croácia que tinha vencido a Espanha e o grupo D de qualificação onde estava República Checa e Turquia, pouco fez para conseguir algo mais neste jogo contra Portugal, teve mais azar que a Selecção Lusa e segue agora para casa. 

 

Na próxima quinta abrimos os quartos de final, esperemos que este jogo tenha aberto os olhos a Fernando Santos!

 

Homem do jogo: Pepe

4 comentários

Comentar post