Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

31
Mai16

Os ilustres ausentes - parte II


RSolnado

http://www.gettyimages.pt/

No post anterior falámos da Holanda e podíamos ter falado da Sérvia ou da Dinamarca, mas há outro lote de ausentes. Aqueles que estando a sua selecção qualificada, falham a presença no EURO por lesão, indisciplina ou opção, mais ou menos polémica, do seu seleccionador. São muitos casos, e a revista seguinte apenas pode passar por alguns.

 

Hatem BEN ARFA e Karim BENZEMA

As ausências da selecção gaulesa davam material para um post próprio, mas escolho o enfant terrible do futebol francês e o não menos controverso ponta de lança do Real Madrid. Ben Arfa passou ao lado de uma grande carreira, perdeu-se por muitos clubes, excesso de peso, álcool entre outras situações, mas aos 28 anos arrancou a melhor época de sempre no Nice, encantando na Ligue 1 e fechando a época com 18 golos em 37 jogos (em todas as competições). Ainda assim, isso não lhe valeu a chamada por parte de Didier Deschamps, numa posição onde a França está muito bem servida, com Griezmann, Payet, Martial e Coman. Mesmo assim a ausência de Ben Arfa causou polémica, pois tem algo mais fantasista e improviso que estes jogadores não parecem ter.

 

A história de Benzema na selecção parece ter chegado definitivamente ao fim depois do escândalo de chantagem a envolver Valbuena. Embora seja um assunto da justiça civil, Deschamps actuou como juiz desportivo e afastou os 2 jogadores desde que o escândalo rebentou. No caso de Benzema, a França fica privada do seu melhor avançado, é mais jogador que Giroud e Gignac, avançados escolhidos para a competição. Ficaram também de fora Gameiro e Lacazzete, estes por opção técnica do treinador. Na França faltam ainda, por lesão, os centrais Varane, Mathieu, Zouma e Laporte, ou seja, dava para compor um lote de convocáveis alternativos de qualidade igual ou superior aos convocados.

 Reus + Gundogan.jpg

Marco REUS e Ilkay GUNDÖGAN

Tal como no Mundial 2014, este duo do Borussia Dortmund volta a falhar, por lesão, a fase final de uma grande competição. Para Reus é absolutamente frustrante, pois lesionou-se outra vez na recta final da preparação para a competição. Vindo de temporadas fantásticas em que tem sido a grande referência do seu clube, o eléctrico extremo era apontado como um dos titulares, pelo que Löw terá agora de refazer alguns dos seus planos.

Quanto a Gundogan, pretendido por meia-Europa, o organizador de jogo de origem turca tem sido fustigado por lesões arreliadoras nas últimas épocas, e numa altura em que parece ir dar definitivamente o salto para um clube de topo europeu, a sua afirmação internacional tarda em acontecer. No Euro 2012 não saiu do banco de suplentes, pelo que ainda não é desta que se estreia pela Alemanha em fases finais de grandes competições.

Vincent KOMPANY

Foi uma das imagens que ficou desta temporada, as sucessivas lesões do capitão da Bélgica e do Manchester City, quatro no total e sempre musculares. A última em plena 2ª mão dos Quartos de Final da Liga dos Campeões, deixou-o, aos 30 anos, fora deste Euro 2016. Numa Selecção que muitos apontam como uma das surpresas da prova, esta é uma baixa de peso, num sector que também perdeu uma das alternativas por lesão, Lombaerts.

 

Adnaj JANUZAJ

Esta não é nenhuma surpresa, mas apenas uma curiosidade. A carreira deste jovem prodígio do Man Utd estagnou por completo nos últimos dois anos, e aos 22 anos parece perdido. Há quatro anos fez correr rios de tinta por poder ser elegível por 6 selecções. Bom, a sua Bélgica de nascimento deixou-o de fora, Roy Hodgson não sentirá o desejo que teve há 3 anos de o naturalizar inglês, a Turquia e a Albânia estão no Euro mas Januzaj não as escolheu, enquanto a Sérvia não se qualificou e o Kosovo só este ano viu a sua Federação reconhecida pela FIFA e UEFA!

Fábio COENTRÃO

Outro jogador que falha o Euro por lesão, em mais uma temporada perdida para o internacional português. Aos 28 anos e depois de ter deixado o Real Madrid para jogar tendo em vista esta competição, acaba por ser certamente frustrante. Não menos frustrante será para Danny, também afastado por arreliadora lesão, ou mesmo para o jovem Bernardo Silva, que depois de duas temporadas a brilhar no Mónaco podia aqui brilhar nos relvados franceses com outra visibilidade e dar o salto para outro clube.

Andrea PIRLO, Claudio MARCHISIO e Marco VERRATTI

A classe deste trio enchia de futebol qualquer meio-campo. Se Pirlo já se tinha retirado da Selecção, as baixas por lesão de Marchisio e Verratti originaram uma corrente que trouxesse o regista desde a reforma dourada de Nova Iorque até ao palco do Europeu. Era essa a vontade de Pirlo, mas não tanto a de Conte, desapontado com a falta de competição do médio em terras do Tio Sam, o seleccionador italiano vai para este europeu sem médios de classe mundial que seriam titulares de caras na Squadra Azzurra. Perde a Itália, mas também perdem todos os amantes do futebol!

Fernando TORRES e Diego COSTA

Para fechar, o lote de ausências espanholas. E dava para fazer correr tinta a falar de Carvajal (lesionado), Bernat, Javi Martinez, Mata ou Cazorla (opção), mas sem dúvida que as mais polémicas estão na frente. Torres e Diego Costa ficaram de forma por arbítrio de Del Bosque, que preferiu chamar Morata e o veterano Aduriz. Se a época de Diego Costa foi intermitente e sempre polémica – além que na Selecção nunca se afirmou, a ausência de Torres causa-me mais espanto. Mesmo no seu período mais crítico da carreira o Seleccionador nunca o fez cair, deixou-o de fora agora, numa temporada em que na segunda volta recuperou protagonismo e foi titular no Atlético de Madrid. Veremos como os escolhidos darão conta do recado.