Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

27
Jun16

Inglaterra 1-2 Islândia : heróis vulcânicos!


Pedro Varela

islandia2.jpg

 

♫♫

Small island is on fire
Big island is terrified
NA NA NA NA NA NANA NANA NANANA

♫♫

 

Acabamos de assistir a história do futebol mundial, verdade seja dita, o Europeu de 2016 já valeu pelo que há momentos se passou em Nice. A Islândia, com pouco mais de 300 mil habitantes, venceu a Inglaterra e eliminou-a da competição, uma nação que tem mais de 8 milhões de pessoas a praticar futebol, e pelo que assistimos em campo não foi um escândalo!

Se a passada semana tinha sido, a nível político para os ingleses um adeus à Europa, a Selecção em campo não quis ficar atrás e seguiu os passos da maioria que votou pela saída do Reino Unido da Europa. Já se fala da possibilidade da Selecção dos "Três Leões" passar a "Três Gatinhos" agora que se isolaram do velho do continente. A acompanhar!

 

Roy Hodgson fez um campanha incrível de qualificação, em 10 jogos conseguiu 10 vitórias. Qualificou-se para os oitavos de final sem fazer um jogo verdadeiramente de possível candidato. Hoje operou 5 substituições, diria que todas elas previsíveis Rose, Sterling, Kane, Rooney e Alli, pois o jogo da terceira jornada serviu para poupar jogadores, mas continuou a praticar um futebol medonho.

Do lado Islandês, Lagerbäck manteve o 11 titular que venceu na última jornada a Áustria. É caso para perguntar, percebem porque a Islândia lutou para vencer esse jogo sabendo que iria encontrar a Inglaterra? A resposta na vitória de hoje!

 

A derrota da Inglaterra, que diga-se de passagem, é completamente justa, ainda é mais acentuada e frustrante para os Ingleses, quando aos 4 minutos Rooney marca o 1-0 de grande penalidade. Era complicado começar de melhor forma.

Mas, como sabemos, Islândia é o país do vulcões, os jogadores estavam adormecidos mas a erupção estava para começar. O primeiro abalo foi logo aos 6 minutos com Gunnarsson a fazer um lançamento longo para Árnasson que coloca a bola na área e Sigurdsson marca o golo do empate.

E como bem sabemos da actividade vulcânica, depois das tremideiras iniciais, a lava explode e vem por aí abaixo, e numa jogada bem trabalhada à entrada da área Inglesa, ninguém pressiona Sigthórsson que atira para o fundo da baliza de Hart, que deixa a ideia de ser mal batido!

 

A partir deste momento, com a lava a expandir-se a toda a velocidade, bem sabemos que é difícil parar este movimento. O intervalo chegou com um aviso muito sério: já só faltavam 45 minutos para recambiar os ingleses de volta para a ilha!

 

E o que fez Roy?

 

Tira Dier e coloca Wilshere. A Selecção Inglesa continuou apática, sem fio de jogo, sem a minha noção de como livrar-se da camisa de forças em que estava metida. Deu pena ver Rooney completamente desgastado por ter actuado quase 90 minutos fora da sua melhor posição, ou Kane a enviar bolas para fora como quem está em dia de apresentação num novo clube a mandar bolas para os adeptos nas bancadas e Vardy que entrou e quase sem jogo, sem oportunidades, sem bola, tal eram as fracas assistências dos seus companheiros. O momento "malucos do riso" é lançar Rashford com o jogo mesmo a terminar e já desesperado numa óptica de "pode ser que dê!"

 

Não quero com isto tirar o mérito da Islândia. Que força da natureza neste Europeu nos lances de bola pelo ar, e até pelo chão, que os seus jogadores empregam em cada lance. Tudo é uma batalha, um duro embate como se própria vida dependesse da bola que se vence. E depois, tivemos Sigurdsson. Batalha, batalha, marca o golo, atira de pontapé de bicicleta, batalha, remata e ficamos cansados de o ver em campo. Mas felizes, porque aquilo é tudo genuíno!

 

Uma Selecção que empata com Portugal, vence à Áustria e Inglaterra, merece continuar a maravilhar o mundo do futebol, dentro de campo com um futebol aguerrido e fora de campo com o apoio incrível dos seus adeptos.

 

A Inglaterra volta à estaca zero. Desilusão incrível, Roy Hodgson já se demitiu!

 

Homem do jogo: Sigurdsson