Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

13
Jun16

Espanha 1-0 República Checa: Piqué mostra como se faz!


RSolnado

Ck1rJv4UoAAC5AT.jpg

Os bi-campeões da Europa fizeram a sua estreia em Toulouse e sofreram para vencer os checos: o golo solitário chegou aos 87 minutos, e ainda apanharam um susto nos descontos.

 

Sem grandes surpresas nas equipas, destaque para a escolha de De Gea para a baliza espanhola, imune a polémicas e com muitos anos de atraso. Do outro lado a aposta em Gebre Selassie como médio direito, ele que é lateral, num claro reforço defensivo por parte dos checos daquele que foi o flanco favorito dos espanhóis para atacar durante toda a primeira parte.

 

Com Jordi Alba sempre envolvido e Nolito muito activo, o facto de Morata ser canhoto também contribui para a Espanha jogue por este lado, mas claro que a razão principal é acção do maestro Iniesta que pegou na batuta e espalhou magia. Esta é ainda uma Espanha longe dos níveis de 2008 ou 2012, muito por culpa da finalização. Com várias dificuldades em definir já dentro da área, não foi fácil aparecer lances de perigo, e quando apareceram esteve um enorme Petr Cech entre os postes, sobretudo na primeira parte.

 

Aos 16’ travou a emenda de primeira de Morata a cruzamento de David Silva os 29’ voltou a negar o golo ao avançado da Juventus. Aos 40’ foi Alba a ver o guardião negar-lhe o golo. O único fogacho dos checos na primeira parte veio em cima da hora com Necid a rematar fácil para De Gea.

 

Na primeira parte ficou a sensação de que um golo da Espanha podia mudar tudo, no segundo tempo a história foi ligeiramente diferente. Carregou a Espanha a começar, e Hubník por pouco não fez auto-golo. Ele que depois apareceu numa bola parada ofensiva a mostrar que De Gea estava atento.

 

Entre os 55 e 70 minutos os checos respiraram e sacudiram um pouco da pressão, a fúria espanhola voltou em força depois das trocas de Morata por Aduriz e Fabregas por Thiago, mas sempre com o maestro Iniesta ao comando. Com a linha defensiva checa bem definida, por vezes com 6 elementos em linha fechando bem o espaço central, e quer Alba quer Juanfran optavam por jogar mais dentro do que abertos na linha.

 

Sem plano B, sem um Torres, um Cazorla ou um Isco que viessem do banco e mudassem algo, o golo salvador apareceu aos 87 minutos e por intermédio de um… defesa. Livre do lado direito batido curto, bola na área e na segunda bola Iniesta com um cruzamento perfeito a colocar a bola em bandeja de ouro para Piqué, sem marcação, cabecear à matador sem hipótese para Cech. Na única falha defensiva grave durante a partida, os checos foram castigados.

 

No desespero, o empate espreitou quando dentro da área Darida encheu o pé mas o remate saiu à figura, De Gea reagiu e com os punhos afastou a bola. Vitória justa da Espanha, mas feliz. Del Bosque tem muito para reflectir… A dificuldade em definir os lances ofensivos na área é preocupante, e contra equipa mais exigentes veremos se conseguem ultrapassar esta barreira.

 

Homem do jogo: Andrés Iniesta

1 comentário

Comentar post