Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

Parque dos Príncipes

Espaço dedicado à cobertura do Campeonato Europeu de Futebol de Selecções a decorrer em França de entre 10 de Junho e 10 de Julho

05
Jul16

E agora, País de Gales?


J.G.

2387654_w1.jpg

 Agora, tudo parece ser possível para os bravos heróis de Gales, os únicos sobreviventes da invasão britânica ao Europeu de França.

Estar nas meias finais num Euro alargado com mais uma eliminatória do que era normal, já é um feito que marcará a história do futebol da nação galesa, mais conhecida pelos seus feitos no rugby.

Mas na verdade todos sonham com algo mais e os resultados conseguidos são uma excelente base para alimentar esse sonho. O País de Gales chegou a França após uma qualificação dramática. O facto de estarem presentes num Europeu pela primeira vez já deu para motivar o país e deixar os seus adeptos em festa até agora. Sabia-se que tinham argumentos individuais para lutarem por um apuramento na fase de grupos, desde logo com a estrela do Real Madrid, Gareth Bale, à cabeça.

O desempenho ultrapassou as melhores expectativas, 5 jogos, 4 vitorias! A única derrota aconteceu com os vizinhos ingleses e teve sabor a injustiça. As vitórias categóricas contra Rússia e Bélgica dão toda a legitimidade a Gales para estarem confiantes para a meia final.

 

O seleccionar tem utilizado um 5-3-2 que vem a ser aperfeiçoado desde o primeiro jogo.Enorme solidez defensiva com dois alas incríveis tanto a defender como a atacar, Chris Gunter e Neil Taylor. Estes também são os dois homens em foco por estes dias por simbolizarem a proeza inesperada com reflexos na vida pessoal. Taylor teve que pedir compreensão à sua companheira por não irem ver o concerto de Beyoncé em Wembley, ele tinha comprado os bilhetes mas a aventura em França está a ser mais comprida do que esperava. Já Gunter tem um problema mais complicado, aceitou ser padrinho de casamento do seu irmão no México e vai improvisar o discurso à distância via Skype. Os pais optaram por acompanhar o filho que está no Euro, o casamento não será a festa familiar esperada...

Joe Ledley, outro jogador em destaque com belas exibições e danças estilosas no final dos jogos com os adeptos, ia casar no próximo sábado em Ibiza mas já pedir compreensão à sua noiva que estará em Lyon para o apoiar.

 

Com Gareth Bale um pouco mais livre entre o meio campo e o ataque, Gales consegue dar forma a uma táctica que tira mesmo o melhor dos seus jogadores mesmo com trocas pontuais de jogadores. Ter um ataque construído por Joe Allen, Aron Ramsey e Bale, só pode dar bons resultados, se tudo for bem organizado temos uma nação a sonhar.

 

O problema para Coleman nesta meia final é como substituir Ramsey e Ben Davies . O jovem central do Tottenham é peça muito útil no sector defensivo, pois pode ocupar o centro ou a faixa esquerda mas é substituível sem grande mossa. Já o jogador do Arsenal é mais complicado de se fazer esquecer, tem sido um dos elementos chave da equipa neste Euro, além do golo que marcou à Rússia leva já 4 passes para golo.

 

Escolha quem escolher, Coleman sabe que todos se vão entregar com o mesmo espírito conquistador que mostraram até aqui. Só sabem jogar para vencer, quando se encolheram com os vizinhos ingleses correu mal e serviu de lição. A moral está mais alta que nunca e vão querer mostrar a Portugal que querem ir mais longe na estreia da competição do que fizeram os Patrícios em 1984.